VI Série de música antiga

21 a 25 de junho de 2021

O projeto “Série de Música Antiga de Goiás” foi idealizado pela cravista Beatriz Pavan e pela flautista Cristiane Carvalho. O evento  visa divulgar e incentivar a pesquisa acerca da dança, música, instrumentário com interpretação historicamente informada de obras dos períodos musicais Medieval, Renascentista e Barroco, através de apresentações de dança antiga, recitais, oficinas e masterclasses, na cidade de Goiânia, nas instituições de ensino EMAC-UFG e IEA Gustav Ritter.

O objetivo principal é tornar a prática musical e da dança, dos períodos propostos, viva nos dias atuais, apresentando o referido repertório e incentivando a pesquisa. 

Programação

Conceitos de autoria e obra em música medieval: cooperação e continuidade

"Flores de música": música barroca espanhola para tecla

trans • scriptio / trans • latio Pode parecer que não, mas o ato de transcrever carrega consigo um rico e exuberante arcabouço de questões retóricas. Se música e linguagem são tão inter-relacionáveis, o ato de transferir a música de um instrumento para outro poderia ser compreendido como uma tradução? Ou será que deveria? Já adianto: não é uma tarefa simples.

Música para canários treinados? Top Early Music Hits? Schickhardt??!?!? E nem comece a falar de Bum Bum Tam Tam... Aqui, o fazer “música antiga” se deparada com 6 séculos de música, bagunçando todos eles nas mãos de uma fanfarra de apenas duas pessoas. Será que alguém, por favor, pode chamar a polícia da música antiga?

Improvisório brota de dois mananciais: a investigação cartográfica desenvolvida na minha tese de doutorado, calcada em minhas reflexões sobre os recitais de música de câmara na contemporaneidade, e a mudança de rota imposta pela realidade digital necessária à crise sanitária global em que vivemos.

Convidados

Pedro H Novaes - foto Sheyla Newberry re

Pedro Hasselmann Novaes – Bolsista do governo francês, estudou com o flautista doce Pierre Hamon no Conservatório Érik Satie, em Paris (1996-98), formando-se com o Primeiro Prêmio e Menção no concurso dos conservatórios desta cidade (1998), onde seguiu também cursos no Centre de musique médiévale de Paris. No Brasil, foi aluno de Mário Orlando Guimarães e de Laura Rónai. Graduado em Licenciatura em Música (2003), Mestre em Musicologia (2008) pela UNIRIO, com bolsa do CNPq, e Doutor em Teoria e Prática da Interpretação (2021) pela mesma universidade, com apoio e bolsa de pesquisa da CAPES. Professor e multi-instrumentista, participa de vários grupos de música antiga, com destaque para a música da Idade Média, tendo gravado os CDs Annua Gaudia (Conjunto Longa Florata, 1999); O Trovador da Virgem (distribuição Sono-Viso Vozes, 2001), Estilo novo, nova arte, (com patrocínio da Petrobras, 2010), ambos com o conjunto Atempo; Sem mim (trilha sonora do Grupo Corpo, 2011); Rosa das Rosas (Conjunto Codex Sanctissima, 2014) e Salus Infirmorum (Conjunto Codex Sanctissima, 2018). Participou do fonograma e de parte significativa da trilha sonora da novela de época Deus Salve o Rei (Rede Globo, 2018). Músico convidado para os espetáculos da Companhia de Dança Márcia Milhazes (2015-2017).

ana.jpg

Ana Paula Segurola

Organista, clavecinista y fortepianista. Concertista y docente.

Licenciada en Organo en la Facultad de Artes de la Universidad de la República, Uruguay. Licenciada en Clave en la Universidad Nacional de las Artes, Buenos Aires, Argentina.

Ex-becaria de instituciones uruguayas y de la Académie musicale de Villecroze (Francia), se ha perfeccionado en Francia con Ilton Wjuniski e Huguette Dreyfus. Además de su actividad como solista, ha participado en óperas barrocas en Uruguay, España y Argentina; ha tocado junto a la Orquesta Gral. San Martín (Mtro. M.Benzecry), y con el Coro del Fin del Mundo (Mtro. P.Dzodan). En 2010 y 2012 ha realizado giras por Suiza, Alemania, Inglaterra y Finlandia, con el auspicio de la Cancilleria Argentina. Del trabajo conjunto con Gabriel Schebor (laúdes y guitarras) nació el CD "Pour ung plaisir", además de la colaboración en los CDs "Dar Luz" y "Spanische Volkslieder" (serie "Raras partituras, Biblioteca Nacional Argentina).

Es profesora invitada del programa de educación permanente y posgrados de la Universidad de la República (Uruguay).

Held - Foto Divulgação.JPG

Marcus Held

Natural de São Paulo, é doutorando e mestre em Musicologia pela Universidade de São Paulo (USP), tendo realizado a primeira tradução para a língua portuguesa da integral da obra tratadística de Francesco Geminiani (1687-1762). Pesquisador e violinista dedicado ao estudo das práticas interpretativas do repertório dos séculos XVI, XVII e XVIII, especializou-se na Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP) com Luis Otávio Santos e na Escola Superior de Música de Catalunya (ESMUC) com Emilio Moreno, em Barcelona. Desde 2015, é regularmente convidado para palestrar em instituições de ensino e pesquisa de renome no Brasil, como o Conservatório de Tatuí e Instituto Baccarelli de São Paulo, bem como em diversas universidades (USP, UNESP, UNICAMP, Unirio e UFG). Foi professor convidado de violino e viola em eventos como o III Encontro Campestre de Violas, o I Festival Internacional de Música em Casa (FIMUCA) e a V Série de Música Antiga de Goiás (SMAG). Atualmente, é spalla do Eos-Conjunto de Música Antiga USP, da Trupe Barroca e professor de Violino Barroco e História da Música do Conservatório de Tatuí. Idealizador e fundador do Música Pretérita, projeto dedicado à divulgação da pesquisa em música ao grande público (YouTube e Instagram).

Gustavo Freccia (10).jpg

Gustavo Weiss Freccia

Músico (barítono e viola da gamba). Possui Doutorado em Performances Culturais pela Universidade Federal de Goiás; Mestrado em Música (Performance Musical-Canto) pela mesma instituição e Licenciatura em Música pela Universidade do Estado de Santa Catarina.  Diplomou-se em viola da gamba pela Escola de Música de Brasília sob orientação da profa. Cecilia Aprigliano. Integrou o quarteto "Gambas Candangas", participou de recitais de música de câmara e em concertos com a “Orquestra Barroca da Universidade Federal de Goiás”. Frequentou aulas avulsas e masterclasses com Mario Orlando, Juan Manuel Quintana, Sarah Mead, Paolo Pandolfo, Reiko Ichise, Hille Perl e Kaori Uemura. Em 2020 foi selecionado para uma residência artística online de aprofundamento em viola da gamba sob orientação de Josh Lee. Como cantor, participou de diversos conjuntos vocais e grupos de música de câmara, com grande interesse pela canção de arte e pela música antiga. Integrou o Polyphonia Khoros (SC), o Madrigal de Brasília (DF) e participou de projetos com o Coro da OSESP. Apresentou-se ainda como solista em cantatas, oratórios e óperas.

Gustavo Freccia integra com Cecilia Aprigliano o “Labirinto”, duo de violas da gamba. Atualmente é membro do Conselho Editorial da Associação Brasileira de Viola da Gamba. É professor de viola da gamba na Escola de Música de Brasília.

alf.JPG

Alfredo Zaine

É mestre em música pela Escola Superior de Música e Artes de Stuttgart (Alemanha), onde recebeu o Prêmio DAAD como aluno internacional de maior destaque dentro instituição. Participou de montagens de óperas e de séries de concertos como os da Filarmônica de Stuttgart, Academia de Música Antiga de Baden-Württemberg e da série Bach Vokal. Realizou concertos na Itália, Países Baixos, França, China, Namíbia e Vietnã. Dentre as gravações que participou, incluem o álbum Der Arme Konrad 1514 e o álbum Reformation in Württemberg, Lieder und Stimmen der Reformation ─ ambos à convite do Arquivo Estadual de Baden-Württemberg além de uma gravação das cantatas BWV 18 e 71 de Johann Sebastian Bach para a rádio SWR2, de Stuttgart. Ainda jovem, foi premiado nas categorias solo e conjunto no Concurso de Flauta doce da Fundação Magda Tagliaferro em São Paulo, além de ser selecionado como um dos músicos paulistas para o Programa Furnas Geração Musical. Foi professor de flauta doce na Universidade Federal do Rio de Janeiro e, também, professor no Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora. Hoje leciona flauta doce como professor substituto no Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista — Unesp.

Procopio-Daniel.jpg

Procópio

Músico, artista e pesquisador, é Bacharel em Instrumento Antigo – Flauta Doce pelo Instituto de Artes da Unesp, onde estudou com Cesar Villavicencio e Giulia Tettamanti. Na mesma instituição, concluiu o Mestrado em Musicologia com bolsa FAPESP e, no momento, cursa o Doutorado em Análise Musical, ambos sob a orientação do Prof. Dr. Marcos Pupo Nogueira. Em 2020, juntamente com o flautista Alfredo Zaine, lançou seu primeiro EP: “A Quarentena, o Renascimento e a Peste Moderna”, contendo obras de Andrea Ganassi, Thomas Morley, Orlando di Lasso, Antoine Brumel e Alvise Balbi, trabalho no qual também assina as ilustrações do encarte. Atualmente, estuda oboé barroco com Natalia Chahin no Núcleo de Música Antiga da EMESP.